COMPARTILHE ESTA PÁGINA: INSCREVA-SE:

Views: 16.410 kerber • FEV.07.2012




Preço dos Ultrabooks deve cair abaixo dos 2000 reais até a metade do ano



Durante uma entrevista com "porta-vozes" da Intel, na Campus Party, ficamos sabendo um pouco mais sobre os planos da empresa para os Ultrabooks no Brasil. Segundo Américo Tomé, gerente de produtos para a América Latina, teremos preços mais acessíveis dentro dos próximos meses, com a vinda de novos aparelhos e o início da fabricação deles no país.


Ultrabook em exposição no estande da Intel, na CES 2012

 

Segundo Tomé, os primeiros Ultrabooks fabricados no Brasil chegam até a metade do ano, sendo que a fabricação em território nacional é um passo importante para a comercialização de aparelhos com preços mais competitivos, algo que também deve acontecer nesse período. "Queremos alcançar preços abaixo dos dois mil reais", explica Tomé. "E não estamos falando de 1999,99, e sim algo como 1700 reais".

Situar o produto nesta faixa de preço é considerado um ponto estratégico, já que este segmento representa mais da metada do mercado de notebooks. "Em nossas pesquisas, verificamos que os compradores estava dispostos a desembolsar um pouco mais em Ultrabooks, no lugar de um notebook de configuração semelhante".

Outro ponto importante para os preços mais competitivos é a redução de custos com os componentes. A primeira geração os Ultrabooks foi lançada no último trimestre do ano passado, com variações consideráveis entre o hardware disponível em cada produto, porém a intenção é mudar esta realidade: "Estamos trabalhando com as fabricantes para que padronizem os componentes em seus Ultrabooks, para tornar possível a produção destas peças em larga escala, e assim reduzir os custos", explica Antônio Viera, engenheiro de aplicações na área de vendas da Intel.

Esta estratégia inclui a criação de todo um ecossistema em torno das empresas fabricantes, sendo que as principais interessadas no desenvolvimento de produtos recebem o apoio da Intel para a criação de novos aparelhos. "Isto é indispensável para mantermos um nível de qualidade dos Ultrabooks, e garantir que todos os aparelhos funcionem corretamente", completa Viera.

A padronização também indispensável para a implementação de recursos prometidos para os Ultrabooks em suas próximas gerações, como uma maior conectividade com outros dispositivos, ou recursos de segurança. "É preciso esta coordenação para tornar possível implementar soluções avançadas de segurança, que operam diretamente no hardware, como travar o computador após a terceira tentativa de digitar a senha incorretamente, ou desativar o aparelho à distância", conclui Viera.